30 outubro 2005

 

UM PEQUENO GESTO PELA DEMOCRACIA

Vai a enterrar amanhã Rosa Parks que faleceu a semana passada em Chicago, com 92 anos.
Ela foi ontem transportada para Montgomery, num avião pilotado pelo primeiro americano negro a tornar-se comandante de longo curso e estará até hoje à tarde na Igreja de ST Paul A.M.E. de onde depois será, transferida para ser exposta na Rotunda do Capitólio em Washington D.C., honra que é pela primeira vez concedida a uma mulher, em toda a história dos E.U.A.
Durante as cerimónias ela será honrada pelas mais significativas personalidades, uma vez que é detentora das mais altas condecorações nacionais e estrangeiras, entre elas a Medalha de Honra do Congresso em Ouro.
Alguém de bastante importância disse: "Hoje sabemos que este país mudou para sempre porque uma grande mulher resolveu ficar sentada para defender os seus direitos".
Que fez então Rosa Parks para merecer tais honras?
De raça negra e costureira de profissão, vivia e trabalhava em Montgomery, Capital do Estado do Alabama um dos mais racistas do Sul.
Entre muitas e variadíssimas humilhações existia uma lei que ordenava que, nos autocarros, a metade da frente seria reservada para os brancos enquanto que os negros deveriam sentar-se na parte posterior. Em caso de necessidade os negros deveriam recuar sucessivamente e os que estivessem em excesso deveriam deixar o autocarro, mesmo que tivessem pago bilhete.
Foi o que aconteceu um dia de 1955. Um branco entrou, num autocarro cheio e o motorista ordenou que os quatro negros da fila deveriam sair pois um branco não poderia sentar-se, numa fila onde houvesse negros.
Todos obedeceram excepto Rosa Parks que ignorou as ordens do motorista. O mesmo chamou-a à atenção e como ela continuava a ignorá-lo chamou a polícia para a prender nos termos da lei. Depois de detida, humilhada e metida numa cela ficou esperando pelo julgamento.
Entretanto um jovem Pastor da Igreja Batista, chamado Martin Luther King começou uma colecta para arranjar fundos para o seu julgamento ao mesmo tempo que convidou os negros da cidade a organizarem um boicote à companhia de autocarros. O boicote foi um sucesso, durou 351 dias e os fundos vieram de todo o país tanto de negros como de brancos. E, eram bem precisos pois depois da sua condenação os advogados recorreram a todas as instâncias até chegar ao Supremo Tribunal dos E.U.A. que decretou que a discriminação era anti-constitucional portanto ilegal.
A imparável onda do Movimento dos Direitos Cívicos tinha começado e hoje todos nós conhecemos os resultados.
O Alabama mudou muito e o próprio Presidente da Câmara de Montgomery, disse hoje: "Ela mudou o mundo sem nunca ter dado um tiro".
Rosa Parks, como muitos outros hoje ignorados fizeram qualquer coisa de extremamente importante: UM PEQUENO GESTO QUE FEZ AVANÇAR A DEMOCRACIA.
Luis C. Nunes

 

Co-Incineração de Resíduos Industriais Perigosos no Parque Natural da Arrábida

Comentário de José Pedro Calheiros, padrão da empresa "SAL - Sistemas de Ar Livre", de Setúbal, no sítio www.sal.pt .
Eis que de novo volta esta situação. Já sei que muitos dirão que a nossa opinião é esta por ser aqui à porta. É verdade claro, é para isso que cá estamos. Mas também porque achamos que não faz qualquer sentido. Que se trata de uma birra de um "menino mimado" que foi contrariado há uns anos. A luta vai sair à rua e nós estaremos lá, mesmo que de novo nos coloquem sob escuta telefónica. Então, é a vida ! Enquanto podermos mexer um músculo, mexeremos. Quando já não conseguirmos, agitaremos a Alma. JPC

 

TU TI TU TU TU TU

Na sua recente visita aos Estados Unidos, o Mário Soares e a sua esposa,
hospedaram-se num luxuoso Hotel. Cerca das 17h00, Mario Soares agarra no telefone, chama o serviço de quartos e diz:

"TU TI TU TU TU TU"

A recepcionista não compreende o que quer dizer Mário Soares e crendo que se tratava de uma mensagem cifrada, avisa imediatamente o FBI. Num ápice, apresentam-se dois agentes do FBI e postos ao corrente, e não conseguindo descriptar a mensagem decidem chamar a CIA.

Os serviços secretos mandam mais dois agentes ao hotel e começam a investigar e a tentar decifrar a mensagem, mas sem qualquer resultado. Entretanto, Mário Soares, volta telefonar e a recepcionista, os agentes do FBI e da CIA ouvem Mário Soares repetir:

" TU TI TU TU TU TU"

Desesperados, os agentes resolvem chamar o tradutor oficial da embaixada dos Estados Unidos em Portugal. Um caça supersónico do Pentágono recolhe imediatamente, no aeroporto de Figo Maduro, o respectivo tradutor que é conduzido sem mais delongas aos Estados Unidos. Chegado ao hotel e posto ao corrente da situação o tradutor disfarça-se de criado, vai aos aposentos de Mário Soares e descobre o mistério.

O ex-presidente Português e actual candidato tinha querido dizer

'"Two tea to 222"

(enviado por Klaus Saalfeld)

29 outubro 2005

 

Que é o Barde ?

a) O Dr. António Lacerda no Jantar de Despedida do Presidente Rogério Brito
b) O Miguel Mosquito, segundo alguns comentários no blog "Sal d'Alcácer"
Faz os seus comentários .....

 

Crepuscula no Rio Sado - Vale de Guizo







 

Incredivel, mas verdade !


O mini golfe "gulag" está finalmente aberto. Foi uma das ultmas acções da Câmara CDU. Vai dar emprego à alguns vereadores e funcionários desempregados.

 

As palavras dos outros


28 outubro 2005

 

UMA ESTRANHA GREVE

Parece ser hábito em Portugal anunciar greves com grande antecedência, provavelmente para beneficiar da voracidade dos nossos "media" em desesperada luta de audiências.
Para quem se interessa por estas coisas e tem um mínimo de memória lembra-se que no início ouvimos quatro reivindicações principais dos Magistrados e Funcionários judiciais, a saber, idade da reforma, férias judiciais, sistema de assistência na saúde e progressão na carreira.
Tivemos assim tempo que basta para ouvir os ataques, algumas vezes grosseiros, contra o Governo do Primeiro-ministro José Sócrates. Cedo se começou a perceber que a greve não obtinha grande simpatia do público e tudo culminou com o famoso "Prós e contra " em que certas ambições exageradas foram desmacaradas, o que, quase unanimemente foi reconhecido, pela imprensa escrita do dia seguinte.
Desde aí, como se não tivéssemos argúcia suficiente para o compreender, tivemos que suportar as intervenções de um Juiz que esperemos se ocupe mais do sindicato do que da defesa dos nossos direitos constitucionais, de um Delegado do Procurador da Republica que em público, sem qualquer prova, faz um processo de intenções que ofende gravemente um Ministro do nosso Governo, já sem falar do orgulhoso representante dos funcionários, que tal autodidacta realizado, discursa sobre Direito Constitucional (esquecendo que o Direito é coisa demasiado importante para ser entregue a curiosos).
Que nos diziam, posteriormente, estes arautos da salvação de Portugal? Que a Justiça vai muito mal em Portugal e que culpa é unicamente a atribuir ao Governo, de quem esperavam um diálogo na base desta luta puramente "ética".
Lemos hoje Pedro Lomba que no Diário de Noticias cita o relatório da Comissão Europeia sobre a eficiência da Justiça. "Portugal tem 14,9 Juízes por 100.000 habitantes, mais do triplo da Inglaterra (esse país subdesenvolvido); entre 33 países europeus, Portugal, é de longe, aquele que, tendo em conta o salário médio, melhor paga aos seus juízes." Para quem tem, de novo, um mínimo de memória lembra-se do famoso estudo feito pelos seus pares, que analisou vários Tribunais. As conclusões são arrasadoras, 81 por cento deles receberam a nota mau ou péssimo, e apenas uns poucos (é a excepção que confirma a regra) tiveram nota bom ou óptimo. Conclusões: nestes últimos quase não havia processos em atraso. Nos outros à parte, as deficiências de equipamento, existia sobretudo incompetência, má organização e mesmo… pouca vontade de trabalhar.
E então aquelas primeiras revindicações?
Idade da reforma: o país está a caminhar a passos largos para a bancarrota. Reforma antes dos 65 anos, seguramente, mas a semelhança da maior parte dos países, cada ano a menos é fortemente penalizado independentemente do tempo de trabalho.
Férias Judiciais: seguramente tal como na maior parte dos países mas para terem um mês de trabalho intenso, sem interferências do público para tentarem pôr em dia os atrasos. Os Bancos fecham bem às 15.00 horas mas não quer dizer que os seus funcionários vão imediatamente para casa.
Sistema de Assistência na Saúde: Era bom, talvez melhor que o da maior parte dos portugueses. Mas então que o paguem inteiramente. O que é indecente é o Estado cobrir os prejuízos, com os impostos do idoso e da idosa de Traz os Montes ou Beira Interior que têm de se levantar de madrugada para obter, talvez, uma consulta para dentro de seis meses. Dialogar mas para quê? O Estado cortou estes privilégios colocando o pessoal num sistema também privilegiado, em relação ao dos outros portugueses que é a ADSE.
Progressão na carreira: mas o país está numa crise sem precedentes. Vamos arriscar que apareça um outro salvador, que começará por reduzir o seu próprio salário de metade?
Caros Senhores, é preciso dizer-vos frontalmente que esperamos um pouco mais de seriedade de gente que tem entre as suas mãos a responsabilidade da defesa das nossas Liberdades e garantias individuais.
Luís C. Nunes

 

Provérbio

Amanhã é sempre o dia mais ocupado do ano. (provérbio espanhol)

 

A história da vida do meu amigo.

Conhecemo-nos na tropa, tinhamos então vinte anos, hoje já temos 40, como o tempo passa, eu via nele uma competência e persistência ímpar, o que não era reconhecido por muitos dos nossos colegas e superiores, há noite enquanto outros íam não sei para onde, ele lá ia para a universidade, formou-se em gestão de empresas, naquela altura era dificil.
Hoje tem uma empresa em Lisboa é talvez um dos consultores administrativos mais próspero. Quando se entra no seu escritório nota-se que ali existe competência, aquela que eu na altura já considerava ímpar, ali tudo funciona, o mobiliário de escolha requintada é funcional, os empregados atarefados, mas sempre com um sorriso nos lábios, trabalham por objectivos, no inicio de cada semestre definem os objectivos, todos têm que apresentar planos de desenvolvimento individual e planos de desenvolvimento em equipa, clientes importantes, todos os indicadores mostram que é uma empresa próspera.
Um cínico poderia dizer: "É preciso ser um verdadeiro charlatão para montar um negócio desses."Mas o cínico estaria errado.
Não é preciso ser um charlatão.E também não é preciso ser um homem muito brilhante, muito rico ou de muita sorte.Tudo o que é preciso é ser um homem competente e persistente, que jamais pensou em se deixar derrotar.
Por detrás desta empresa próspera e respeitável está a história de um homem combativo, que lutou para abrir o seu caminho.
Um homem que perdeu as economias de 10 anos, nos primeiros 8 meses da sua empresa, que morou no próprio escritório durante vários meses porque não tinha dinheiro para alugar um apartamento, deixando de fazer vários "bons" negócios, porque preferia conservar as suas ideias e pô-las em acção, ouvindo seus prováveis clientes dizerem não 100 vezes tantas quantas diziam que sim...
Durante os 7 anos incrivelmente árduos que levou para prosperar, nunca ouvi o meu amigo queixar-se uma só vez.Ele dizia:"Quim, estou aprendendo.Neste ramo de negócio a concorrência é grande, e como é intangível, é difícil de realizar. Mas estou aprendendo como fazê-lo."
E aprendeu mesmo.
Uma vez comentei com ele essa experiência exigiu muito de ti.No entanto ele respondeu:"Não, nada exigiu de mim, pelo contrário, deu-me muita coisa.
Rui para ti vai aquele abraço, só não vai um beijo senão estas mentes aqui em Alcácer começam logo a pensar que somos aquilos que não somos, sei que pelo menos tu vais ler, de seguida vou-te ligar.
E dia 1 lá estarei.
(Autor anónimo e - infelizmente - não conhecido pela redacção)

 

Mas, quem é você?

O meu amigo Michael Noelke, mais conhecido por Miguel Mosquito, pediu-me que colaborasse no novo espaço deste blog, para o qual já havia contribuído com vários comentários.
No entanto avisei-o de que interviria muito pouco ou quase nada em assuntos próprios de Alcácer do Sal por conhecer mal a terra e os seus problemas. Proponho-me intervir mais em assuntos nacionais ou mesmo internacionais, de preferência naqueles em que se pode vislumbrar um avanço da democracia que, como aqui já foi dito necessita de ser defendida e aperfeiçoada em permanência, não fosse ela ( Churchill dixit) "o menos mau de todos os sistemas políticos"
Acho por bem portanto que na primeira intervenção me apresente aos eventuais leitores.
Tentarei resumir ao máximo para não me tornar enfadonho ou, pior ainda, involuntariamente vaidoso.
Chamo-me e assinarei Luis C. Nunes (a pedido do Miguel para me distinguir dos dois Luis Nunes que parece existirem em Alcácer). Sem querer ofender o ditos dois Nunes, conto que uma vez uma amigo Suíço me perguntou se Nunes, em Portugal era um nome aristocrático. Respondi-lhe que era mais ou menos a mesma coisa que Dupont em França.
Como me definir resumidamente. Alguns amigos aconselhariam: exilado permanente, revolucionário sem fim, defensor de causas perdidas, etc. etc. Para ser mais modesto prefiro classificar-me como Saltimbanco.
Para melhor classificar o termo: possuo três nacionalidades e outros tantos passaportes: Português, Suíço e Angolano.
Outro aspecto significativo: só se estiver absolutamente incapacitado é que me abstenho de votar. Porquê?. Porque nunca tendo sido abstencionista só consegui votar pela primeira vez na minha vida aos…51 anos (em Portugal o António das botas, resolveu o problema dizendo que estudante não era uma profissão portanto não poderia votar. Na longa estadia em França e depois Suiça não tinha a nacionalidade, idem. Depois do 25 de Abril de regresso a Angola encontrei um país, que achava bastante estranho essa coisa de eleições. Só na segunda estadia na Suiça é que, após a naturalização, consegui votar.)
Valeu a pena a espera pois agora, tiro comos se diz "a barriga de misérias" pois só este anos já votei 8 a 10 vezes na Suiça e se não estou em erro votarei ainda mais cinco até ao fim do mesmo e isto leva-me ao terceiro aspecto de qualificação: Nunca votei nem nunca votarei por disciplina partidária. Como formado em Ciência Politica sei que a democracia não é possível sem partidos políticos, mas eu prefiro votar nas mulheres e homens. Para dar um exemplo (ai que estou a violar a Constituição), nas últimas autárquicas votei para a Câmara de Almada pela D. Emília de Sousa e na Freguesia da Caparica, pelo candidato do PSD. Isto para mostrar que nada tenho a favor ou contra o PC. Votei pela simples razão que considero a D. Emília uma das melhores autarcas de Portugal.
Suponho que agora sabem com o que podem contar….
Luís C. Nunes

25 outubro 2005

 

Vira-se uma página e abre-se outra

Depois de ter apoiado com sucesso, a candidatura de Pedro Paredes às eleições municipais, este blog entra agora numa nova fase, que consiste em defender os valores que nos levaram a votar nele. Para mim não se tratava de uma escolha partidária, mas a constatação que, neste momento, era a melhor escolha politica para Alcácer, tendo consciência que ela representava uma aposta no futuro. Dentro de dias, a nova equipa que se instalará no blog estará atenta ao cumprimento das promessas.
Quando expliquei num dos meus comentários porque é que apoiava a candidatura de Pedro Paredes, dei como primeira razão a necessidade de uma alternância no poder local depois de 30 anos de vigência do Partido Comunista. Mas isso evidentemente não basta. Também disse que o poder local deve ser o motor da modernização e da democratização e não o seu travão. Pedro Paredes escolheu como prioridade para Alcácer a participação dos cidadãos nas decisões do poder local. Por tráz do seu slogan "Alcácer para todos" surge o desejo de estimular a iniciativa privada e de a encorajar através de uma parceria público/privado. Além disso, ele proclamava a necessidade de implementar "uma cultura de cliente nos serviços municipais" que consiste, entre outros, em tornar o serviço público mais próximo do cidadão, acompanhado de uma descentralização de alguns serviços para as Juntas de Freguesia. Prometeu também uma gestão mais rigorosa e uma politica de recursos humanos mais objectiva.
São estes os principais critérios que aplicaremos quando, com o correr do tempo seremos chamados a julgar sobre o sucesso ou falhanço da politica da nova Câmara. A aplicação dos princípios enunciados não acarretam grandes despesas suplementares para o orçamento do Concelho.
Existem evidentemente outros problemas como a realização de certos projectos que custam dinheiro. Uma vez instalada a Câmara deve decidir o que é possível fazer sem ultrapassar as despesas orçamentadas.
Não tenhamos ilusões. Desde que ela começará o seu trabalho, a nova Direcção da Câmara será assediada por toda uma série de defensores de interesses particulares que não se coadunam necessariamente com o interesse geral. Sabemos que todos os partidos políticos em Portugal se transformaram ao longo dos últimos trinta anos em "agências de interesses". Vai ser portanto necessário ao Presidente Paredes uma boa dose de coragem e muita força para não se deixar levar.
Para isso seria conveniente que ele tivesse o cuidado de explicar dia a dia ou semana a semana a sua acção para que a opinião pública esteja informada e o possa apoiar.
Em politica não basta dizer: "O justo fala pouco e faz muito" (provérbio judeu). É preciso constantemente explicar o que se faz e ganhar a opinião pública. É a melhor protecção contra as tentativas de interesses suspeitos. E há mais que se pode fazer ...
Miguel Mosquito

 

Por do Sol em Vale de Guizo - Rio Sado


24 outubro 2005

 

Por falta de quem ?

Agora temos a certeza: é por falta dela que Alcácer está tão parada !!

 

Manhã de Outono

7:48 h

7:50 h
8:45 h


23 outubro 2005

 

Provérbios

Pouco se aprende com a vitória, mas muito com a derrota (provérbio japonês)

A curiosidade é o começo da sabedoria (provérbio grego)

A juventude não é uma época da vida, é um estado de espírito (provérbio chinês)

22 outubro 2005

 

O que nasce torto nunca se endireita

Sem abusar de quaisquer confidências, parece-me interessante relatar as reflexões de outras pessoas quando estas me parecem pertinentes. Há dias jantei com dois homens de negócios que têm vários projectos de investimento no Concelho de Alcácer.
A conversa orientou-se naturalmente para a nova Direcção da Câmara Municipal, principalmente para o novo Presidente. “Será um homem que sabe decidir?” perguntaram-me. Penso que sim, respondi, acrescentando que não conhecia muito bem o novo Presidente mas, pelo que soube parece ter a cabeça bem assente e saber para onde quer ir. Os meus convidados insistiram na pergunta explicando-me com todos os detalhes, o que eles consideravam como um dos grandes males das administrações locais e outras: a incapacidade para decidir, quer dizer tomar as suas responsabilidades em situações que se arrisquem a ser um pouco controversas. Os funcionários passam os processos de uns para os outros esperando sempre que alguém tome uma decisão e desta maneira o processo complica-se e torna-se interminável. Segundo os meus convidados o Sr Matias tinha uma grande qualidade que era a de tomar decisões e de fazê-lo mesmo que fosse contra a opinião dos seus técnicos. Ele tinha o mérito de pôr em ordem um aparelho paralisado pelos interesses contraditórios que tomaram conta da administração há muitos anos. Sobre isto não tinha nada a comentar pois não sou um confidente do Sr Matias.
Mas os meus convidados continuarem, como quem exprime um desejo: quando o novo Presidente entrar em funções, é preciso definir tudo muito bem desde o início que as regras de funcionamento e as atribuições de cada um sejam claras para que não haja dúvidas sobre a autoridade do Presidente nem sobre a sua capacidade de orientação.
Em forma de aviso citaram-me um provérbio português: “ O que nasce torto, tarde ou nunca se endireita”. - Boa sorte Sr. Presidente .
Miguel Mosquito

 

Será coincidência ...


 

Gastronomia e Vinho do Porto

Entre os 78 restaurantes que, do Norte ao Sul do país, participam este ano no concurso "Gastronomia e Vinho do Porto", dois são de Alcácer do Sal: a Albergueria da Barrosinha e o Restaurante A Descoberta. O concurso está aberto agora e acabará no dia 28 de Outubro. Está organizado pelo Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto, com a colaboração da revista da Associação dos Cozinheiros de Portugal InterMagazine. O objectivo do concurso é a promoção do consumo do Vinho do Porto como parte da Gastronomia portuguesa.

 

sem comentário ....

21 outubro 2005

 
Vivemos, num País tão triste, tão triste que até o Furacão Vince, quando se apercebeu que vinha para Portugal, caiu rapidamente para Depressão.
(enviado por Luís Nunes)

20 outubro 2005

 

Aos meus amigos exigentes

É preciso saber: a dignidade humana, a liberdade de expressão, a democracia são valores que só perduram se forem defendidos. O que nós vemos neste blog é grave: um grupinho de exaltados, extremistas, nostálgicos do passado, frustrados pela derrota do Partido Comunista ao ponto de perderem a bola, apropriou-se deste espaço para o transformar em lixeira do seu ódio e xenofobia, para aí proclamar as suas ameaças socialo-fascistas, as suas obscenidades e os seus vómitos de puberdade. Esta gente que se diz amorosa da sua terra faz um retrato da sociedade de Alcácer que deixa muito a desejar.
Se vocês os deixarem ocupar este espaço, sem os contradizer estão a encorajar uma verdadeira cegueira que consiste em gritar bem forte aquilo que eles pensam ser a vontade da "maioria silenciosa" de Alcácer. Eles imaginam-se que exprimem aquilo que toda a gente pensa. Isso encoraja esta gente a passar da agressividade verbal à agressividade física, um fenómeno que se observa não somente nas grandes cidades mas também nas localidades onde os jovens se aborrecem por falta de ocupação.
Enquanto não forem contraditos estes extremistas pensam que beneficiam da cumplicidade da maioria silenciosa.
Compete-vos a vocês julgar e reagir. Alcácer não merece que se diga: "O cortiço é bom, as abelhas é que não prestam"
Miguel Mosquito

18 outubro 2005

 

Provérbios

Os cães ladram, a caravane passa (provérbio chinês).

Quem tenta cuspir em direção do ceu, não deve admirar-se que o cuspo cai na sua cabeça.

Um cão que não sai da casa não deve temer qualquer pontapé. (provérbio árabe)

Se não faz nada é criticado, e se faz algo criticado é. (provérbio português)

 

Tomada de posse : 31 de Outubro

A tomada de posse da nova direção da Câmara Municipal de Alcácer do Sal ira ter lugar na 2°-Feira, dia 31 de Outubro, as 21 horas, no Auditório Municipal. A cerimónia vai ser organizada pela direcção actual da Câmara, o que significa aparentemente vai ser simples e nada mais. O público de Alcácer tem a possibilidade de assistir.
Segundo fontes bem informados, o futuro Presidente da Câmara jà está à considerar uma festa popular à volta de Natal no espaço público do castelo.

 


















Luís Afonso - Bartoon . Público

16 outubro 2005

 

Despedida

Foi bonito, mas acabou.
Não o blog, mas a minha participação. Pessoalmente, assumi este projecto como parte de outro mais global: o apoio, durante a campanha eleitoral, ao projecto liderado pelo arquitecto Pedro Paredes. Terminada a campanha, é o momento de fazer o balanço, de iniciar outra viagem.
Em jeito de balanço, destaco dois aspectos:
Primeiramente, o negativo: o ataque pessoal. Talvez por ser o que mais se expôs, o que mais escreveu, o Michael foi em alguns momentos, insultado de forma que de modo algum pode ser justificada. Pode não se concordar com o que escreveu, mas isso só dará direito à contra-argumentação, a rebater os seus pontos de vista, a contrariar as suas propostas e a negar as suas pretensões, como aliás foi feito em grande parte dos comentários, é justo dizê-lo. Tendo sido atacado como foi por alguns «comentadores», é preciso assinalar os seguintes aspectos: a cobardia dos ataques, porque feitos sob anonimato; a falta de cultura democrática, do hábito do debate e da polémica, do direito à diferença; a mesquinhez da vingança, pelo tempo em que, na sua maioria, foram proferidos, já em período pós-eleitoral. Enfim, revelam mais sobre o remetente que sobre o destinatário.
O positivo: a adesão, sempre crescente; o envolvimento das pessoas e, pessoalmente, o quebrar do medo da exposição, do receio de que o escrito não correspondesse ao lido e, num caso pelo menos, não foi.
Contudo, o blog continua.
Brevemente será alterado de forma a corresponder à nova situação, de acordo com os objectivos dos continuadores.
Pela vossa atenção, o meu obrigado.

14 outubro 2005

 

Carta aberta ao Director da Rádio Mirasado

Exmo. Sr. Director da Rádio Mirasado

O meu colega Ruy Damião, administrador, como eu, deste blog, fez-me saber da sua indignação por eu, no meu comentário «parabéns e ao trabalho» de alguns dias atrás, ter sugerido a sua substituição como director da Rádio Mirasado, bem como uma revisão das directivas do funcionamento desta instituição.

Confesso que a minha sugestão terá sido provavelmente baseada num desconhecimento do estatuto da Rádio Mirasado. Estive sempre consciente do facto de se tratar de uma sociedade cooperativa - na realidade chama-se «Mirasado – Cooperativa Cultural de Animação Radiofónica, CRL» e foi fundada em 1987, após uma longa pré-história, iniciada na clandestinidade.

Julgava que a Câmara de Alcácer dispunha da maioria das acções da sociedade e que tinha portanto o poder estatutário de controlar a direcção da rádio (Como sabe certamente, a ideia das cooperativas que, à partida, partia do princípio um homem, um voto, tem sido prevertida um pouco por toda a parte e muitas das sociedades cooperativas são actualmente administradas mais ou menos segundo os princípio das sociedades por quotas.

Acabam de me dizer que a Câmara não é sócia dessa sociedade cooperativa, que a Rádio Mirasado nasceu a partir de uma iniciativa privada de alguns idealistas e que conta presentemente com um elevado número de cooperantes (Por que é que isto não é explicado com mais clareza no vosso website?).

Então, como é que esta rádio particular se comporta como uma espécie de órgão de imprensa oficial da Municipalidade? Que apenas difunda as informações que convêm à direcção da Câmara? Que a direcção da rádio forneça informações muito minuciosas aos seus colaboradores sobre o que podem ou não difundir?

Terei muito gosto em discutir estas questões consigo, nas ondas da Rádio Mirasado. O facto de existir tal discussão iria desmentir imediatamente uma parte das minhas afirmações, isto é que a Rádio Mirasado suprime todas as vozes que não lhe convêm. E, para me preparar convenientemente para esta discussão, peço-lhe que me comunique a lista de todos os cooperantes da sua Rádio, a sua filiação partidária, desde que seja oficial, o montante dos subsídios ou outros pagamentos que a rádio recebe anualmente da Municipalidade de Alcácer (os números de 2003 e de 2004 são suficientes).

Colocarei ainda uma questão sobre como é possível ser-se simultaneamente director de uma rádio privada e funcionário camarário, bem como sobre os conflitos de interesse e as ligações de dependências que podem surgir a partir desta situação. Na melhor das hipóteses, isto só pode levar à auto-censura que é muitas vezes pior ainda que a censura.

Mas sejamos claros. Se critico que a única rádio local de Alcácer do Sal se tenha vindo a comportar durante os últimos anos como se recebesse instruções da Câmara comunista, não desejo de modo algum que passe a receber instruções de uma Câmara socialista ou de qualquer outra. Sem ser demasiado ingénuo sobre as ligações que se podem criar entre o poder local, que é um importante patrocinador, e uma pequena rádio privada, acho que é necessário haver regras e parapeitos que tornem estas relações compatíveis com os próprios estatutos da Rádio Mirasado (ver anexo). Como o conseguir, num mundo tão imperfeito, merece, na minha opinião, ser discutido. Aceitarei de bom grado um convite seu para debater este assunto consigo, quer seja num ambiente restrito, quer num ambiente mais alargado.
Com os meus melhores cumprimentos
Miguel Mosquito

Anexo: Seria talvez suficiente de criar mecanismos e implementar medidas que garantem o respeito dos pontos 2 e 3 do editorial da Rádio Mirasado (que ficavam letra morta nos ultimos anos):
“2. O objecto de radiodifusão de Rádio MiraSado é o exercio do direito à informação sem impedimentos, nem discriminações, assegurando, nomeadamente, a expressão e o confronto das diversas correntes de opinão, o rigor e a isenção na informação.
“3. A Rádio MiraSado assume-se como independente de todos os poderes políticos e económicos, bem como de qualquer credo.”

 

Silêncio de chumbo

Se sabe pouco dos preparativos de tomada de posse das novas instituições autárquicas e das primeiras medidas que serão adoptadas pela Câmara.
O que se sabe é que o Pedro Paredes recebia os parabéns de todos os seus rivais para sua vitória eleitoral, com uma excepção : o Jerónimo Matias não teve esta dignidade elementar. Ao contrário, o Prof. Pedro Lynce de Faria ofereceu mesmo a sua colaboração ao novo Presidente da Câmara.
Se sabe também que o Eng. Rogério de Brito, Presidente actual da Câmara, assegurou o seu sucessor que o Concelho não tem nenhumas dividas, o que é evidentemente uma boa notícia.
A tomada de posse dos órgãos das juntas de freguesias está prevista por o dia 27 de Outubro. As cerimónias têm lugar em cada um dos locais das juntas de freguesia. A tomada de posse do Presidente da Câmara, dos Vereadores e da Assembleia Municipal vai ter lugar num dos dias seguintes, entre o dia 28 e 31 de Outubro. A cerimónia está prevista no Auditório Municipal, com a assistência do público. Os destaques estão ainda em discussão.
Miguel Mosquito

12 outubro 2005

 

Façam as suas sugestões para a nova Câmara municipal

O Arq. Pedro Paredes e a sua equipa vão tomar posse de suas funções nas proximas semanas. Na sua opinião, quais são as tarefas as mais urgentes que eles devem tratar ? Participe aquí num forum de « Câmara virtual » com portas e sugestões abertas.

 

Primeiros passos

« Ponto de chegada ou ponto de partida ? », perguntava ontem o meu colega Luís Dias, juntando que, segundo os resultados das eleições de Domingo, não existem grandes duvidas quanto ao desejo de mudança existente no concelho de Alcácer. É claro que não se trata principalmente de mudança de pessoas, mais das maneiras de fazer. Além da pessoa do candidato da CDU, julgado arrogante e prepotente, foi todo uma maneira de governar que foi recusada pelos eleitores. As palavras chaves são clientelismo, favoritismo, ausência de transparência, ausência de oscultação, etc. Sabemos todos que isso não é o reflexo de só um partido, mas geralmente dos partidos que estão demasiado tempo no poder. Por isso, uma alternação na governância, de vez em quando, faz parte de uma boa higiena de democracia.
Todavia, algumas pessoas não só adquierem estes máos reflexos depois muitos anos no poder, mas jà chegam com eles no poder. Por isso, é importante ser vigilante desde o início. Pedro Paredes e sua equipa deve mostrar com acções concretas que a mudança está seriamente programada é não só uma boa palavra de campanha eleitoral, esquecida nos dias seguintes

As ocasiões para provar uma orientação mais participativa, mais aberta e mais objectiva da política autárquica não fazem falta. Aqui, alguns exemplos de medidas que podem ser iniciadas no imediato :

1) Definir uma estratégia de revitalização do comercio tradicional em Alcácer do Sal, em conjunto com os representantes dos comerciantes. Trata-se do comercio na zona histórica de Alcácer, mas também do Mercado Municipal e do aproveitamento das zonas periféricas e das aldeias. Prazo : 6 meses.

2) Desenvolvimento económico e turístico de Alcácer. Criar uma mesa redonda, mesmo informal que fosse, que se reunisse regularmente para troca de ideias e de informações e para confrontar os interesses de uns e de outros.O Presidente da Câmara e os Vereadores competentes poderiam então apoiar-se nessa Mesa redonda para discutir uma estratégia de desenvolvimento local.

3) Plano de revitalização da « Pimel » e da Feira Nova de Outubro.
Nomear um grupo de trabalho para isso que inclue um ou dois especialistas em matéria de feiras, os representantes do comércio e das associações culturais. O que é preciso é inovação, qualidade, poesia, divertimento, em breve todo o que faz uma feira de sucesso no início do século 21. Prazo para a definição da estrategia : Março 2006.

4) Estrategia de requalificação cultural para o centro histórico de Alcácer e outros sítios: A nova Câmara deve comecar por convencer os habitantes das vantagens económicas e culturais de uma requalificação cultural da sua cidade. Ele poderia fazer isso com o apoio de grupos de cidadãos interessados nestas questões. Depois, realizar um inventário de todos os edifícios históricos da cidade velha ou pelo menos de todos os edifícios que apresentem problemas. Fazer recomendações sobre as intervenções a realizar e as técnicas a aplicar.
A estratégia deve incluir o problema das transportes no centro histórico e mais em geral no concelho.
Miguel Mosquito

 

Outubro





11 outubro 2005

 

Ponto de chegada ou ponto de partida?

Ou «Foi bonita a festa, pá!». São dois títulos perfeitamente ajustados àquilo que sinto nestes primeiros dias pós-eleições.Depois de ganhar a Câmara, a Assembleia Municipal e as três Assembleias de Freguesia mais populosas, tudo com maioria absoluta, penso não existirem grandes dúvidas quanto ao desejo de mudança existente no concelho.Se a alegria pela vitória é natural e salutar, a responsabilidade aque agora recai sobre os eleitos é directamente proporcional à maioria obtida. Com tal apoio eleitoral, cabe a quem venceu prolongar esse apoio conduzindo e alimentando as esperanças criadas,fazendo do dia 9 de Outubro um ponto de partida para um novo ciclo. É este o meu desejo. Partir, avançar para poder chegar.

 

Anonymous said:

Na minha opiniao axo k este blog nao deveria deixar d existir. Axo k nao so ajudou a candidatura do agora presindente d camara Pedro Paredes como tambem d certa forma dinamizou a populaçao de alcacer do sal. Aki elas poderam(e espero k possam continuar) a dar a sua opiniao e mostrar as suas ideias a todas as outras pessoas. Axo k este blog deveria agora, nao ajudar a candidatura do Arkitecto Pedro Paredes, mas sim ajuda-lo no seu mandato ilucidando-o do k as pessoas d alcacer do sal esperam dele e da sua ekipa tendo assim a oportunidade d deixar a populaçao satisfeita( e espero k seja essa a sua intençao). Est blog deveria funcionar como uma especie de Correio da Manhã electronico para o nosso novo presidente. Nao so axo como tenho provas de k este blog e visto por um pouco de todos os tipos d pessoas e um pouco de cada idade; eu so prova disso, axo k nao e muito habitual um miudo com 15 anos estar para aki a falar de coisas tao serias como a responsabilidade de um presidente de camara. Mas e assim que tem de ser, afinal, dizem que nos os jovens somos o futuro, e dando ouvidos a isso axo nos devemos preocupar com o futuro ja que vamos fazer parte dele.
Espero k o blog nao acabe e espero k o senhor presidente venha todos dias ver o "correio da manha electronico" para se por a par das vontades e das necessidades dos cidadaos d alcacer do sal.
Obrigado por lerem...

 

O Dia seguinte ...

Luís Afonso - Bartoon; O Público
Isto foi na semana passada ..... hoje já é outro dia.....

 

Despedida para a Reforma

Com uma grande participacão do povo de Alcácer, estes duas grandes personalidades, respectivamente do século XIX et do início do século XX, foram despedidas no Domingo passado, para tomarem uma reforma bem merecida, mas um poco tardia.
Pois, somos um pouco lentos no Alentejo.

 

Parabéns, ...e ao trabalho !

Parabéns em primeiro lugar aos cidadãos de Alcácer: no Domingo foram no maior número de sempre a votar nas autárquicas: 7,468 em 12,213 inscritos. Isto dá uma participação de 61,15% (contra 54,27 % em 2001).

Parabéns em segundo lugar ao Arquitecto Pedro Paredes e à sua equipa. Obtiveram 3,472 votos (isto é 46,5 %) e o candidato da CDU 2,604 votos (34,9%). Ninguém podia prever que a CDU iria desmoronar-se com tanto estrondo. Mas Pedro Paredes está consciente do facto que o voto dos Alcacerenses não é tanto um voto a favor dos Socialistas como um voto contra o seu rival, que não goza de qualquer popularidade junto dos Alcacerenses. Enquanto que Pedro Paredes conseguiu atrair mais votos do que a lista do seu partido na Assembleia municipal (148 a mais), o contrário aconteceu ao candidato comunista (26 a menos). Fiquemos por aqui nos comentários sobre Jerónimo Matias, pois «não se deve bater mais no velhinho».

O PSD não conseguiu aproveitar a competência do seu candidato, Pedro Lynce. Obteve apenas 9,9% dos votos, isto é ligeiramente menos que em 2001. O BE, que representa todas as boas consciências da esquerda, apresentou-se pela primeira vez e não foi uma surpresa: 2,3 % dos votos. Os verdadeiros socialistas são relativamente solitários, mas ainda mais simpáticos. Por fim, o «Movimento dos Cidadãos» que havia entrado em cena com grande fanfarronice, não conseguiu criar nenhum movimento. A sua mensagem «descontentes de todos os partidos, uni-vos», perdeu-se entre o estuário do Sado e os pinhais e até foi pouco ouvido na cidade. 185 votos (2,48% dos votos) é apesar de tudo bastante pobrezinho para um movimento populista que pretende ser a verdadeira voz do povo, pois, de acordo com ele, os partidos políticos estão ultrapassados. Das mais de 700 pessoas que assinaram a inscrição do MC nas eleições, mais de dois terços preferiu colocar a cruzinha noutro sítio.

Nos próximos dias, o Arquitecto Paredes vai ter que definir as competências respectivas na sua equipa. O PS dispõe de quatro mandatos de vereador, o PC de três. Um dos três é José Fitas, independente, que goza de grande reputação como vereador responsável pela gestão administrativa e financeira. Será que vai desempenhar um papel na equipa de Paredes?

Todos aqueles que dizem que a lista do PS não inclui pessoas competentes devem olhar bem para as outras listas. Os talentos políticos e as competências técnicas são normalmente bastante raros ao nível das pequenas e médias comunidades. Assim, será melhor aproveitá-los do que descartá-los por pertencerem a outra lista. Além disso, o Arquitecto Paredes terá todo o interesse em guardar para si próprio outras competências chave, tal como as obras públicas, a economia, o turismo. Rodeado por bons técnicos, saberá melhor dirigir estas energias do que a maioria dos seus vereadores. Além disso, o Engenheiro Rogério de Brito também reservou para si algumas competências.

Ainda dois outros desejos. O primeiro tem a ver com a política da comunicação. Espero que a nova Câmara disporá de um serviço de comunicação que não publique apenas brochuras, mas que sirva de porta-voz da Câmara, no dia a dia. Isto fez uma enorme falta à Câmara cessante. Em segundo lugar, a Rádio Mirasado precisa de novas directivas e de um novo director que abra a informação e que encoraje um jornalismo objectivo e dinâmico, em vez de difundir enlatados e destilar noticiários á medida das oportunidades.
Miguel Mosquito

 

Que Fazer ?

As eleições já passaram e este blog «Sal d’Alcácer» cumpriu e terminou a missão que os seus apoiantes lhe tinham confiado: apoiar a candidatura de Pedro Paredes às eleições municipais.

Então, vamos parar? Vamos separar-nos e fazer cada um de nós aquilo que lhe apetece? Vamos continuar? Se vamos, para fazer o quê? É preciso pensar nisto nos próximos dias e tomar uma decisão.

Três dos nossos colegas têm-se mostrado bastante discretos sobre este blog, embora mantenham o seu patrocínio. Eu, que tenho «horror do vazio», contribui mais do que o meu tempo me permitia. Este trabalho deu-me gosto pois senti que existe uma verdadeira necessidade de troca de ideias e de informação em Alcácer. A Rádio Mirasado e a Voz do Sado não chegam para realizar este trabalho (afirmo-o com delicadeza).

Se tenho vontade de continuar com este ou com qualquer outro blog, não será certamente para apoiar qualquer pessoa nas suas ambições políticas. Defendo ideias e todos aqueles que, no momento decisivo, me parecem mais capazes de as partilhar ou de as concretizar. Continuarei assim a exprimir as minhas críticas.

Será que um blog é o meio ideia para trocar ideias? Nele existe uma hierarquia que não existe num «fórum» como o Forum do Movimento dos Cidadãos. Mas, um blog, por outro lado, é mais fácil e mais divertido de ler, graças às suas imagens e layout. Será possível abrir o blog a mais pessoas? Para que, no futuro, não sejamos dois, mas cinco, seis, sete ou nove a nele participar? Será que assim é preciso ser mais organizado?

Se um blog deste tipo pode contribuir para haver maior abertura e um debate mais alargado, aqui em Alcácer, parece-me ser uma coisa boa. Esta sociedade é ainda muito fechada e muitas pessoas têm falta de coragem. Quantos comentários ao blog são assinados com o nome do autor? O mesmo é válido para os fóruns, etc. É preciso encorajar as pessoas a dar a cara!

Não partilho a opinião do meu colega Luís Dias, quando diz que é preferível que os autores de blog não interfiram no espaço «comentários» pois este deve continuar reservado aos leitores do blog. Eu acho, pelo contrário, que estes gostam de saber como reagem os autores aos seus comentários e, assim, tornar possível a discussão.

Por último, diria que a responsabilização dos autores é sempre necessária. Tenho pena, claro, que surjam aqui e ali derrapagens e afirmações odiosas. Mas os autores destas afirmações parecem ignorar o provérbio chinês que diz que «Quando apontas o dedo a alguém, há logo três dedos apontados a ti». Isto quer dizer que estas pessoas revelam mais sobre elas próprias do que sobre aqueles que visam. Um pouco de solidariedade no que respeita à defesa contra estes imbecis seria apesar de tudo útil e bem vinda. Pois há silêncios que estão atroadoras ….
Aguardo os vossos comentários.
Miguel Mosquito

 

Medidas do Bloco de Esquerda para acabar com os incêndios.

1 - Despenalização imediata dos incêndios.
2 - Tendo em conta que os incendiários são doentes e socialmente marginalizados, devem ser tratados como tal: é preciso criar zonas específicas para poderem incendiar à vontade. Nas "Casas de Incêndio" serão fornecidos fósforos, isqueiros e alguma mata. Sob a supervisão do pessoal habilitado, poderão lutar contra esse Flagelo autodestrutivo.
3 - Fazer uma terapia baseada nos Doze Passos, em que o doente possa evoluír do incêndio florestal à sardinhada. O pirómano irá deixando progressivamente o vício: da floresta à mata, da mata ao arbusto, do arbusto à fogueira, da fogueira à lareira, da lareira ao barbecue até finalmente chegar à sardinhada do Santo António e São João.
4 - Quando o pirómano se sentir feliz a acender a vela perfumada em casa, ser-lhe-á dada alta, iniciará a sua reintegração social e perderá o seu subsídio de incendiário.
(Comunicado por um militante que tem perdido o norte ou nunca votou BE)

10 outubro 2005

 

Citação do Dia

Quem defende os seus privilégios em detrimento dos seus princípios acaba sempre por perder os doís.
(Napoleon Bonaparte)

 

Depois as eleições, os raios...

Com Pedro Paredes chega finalmente a chuva tão esperada. Mas, chegavam também os raios e as cortes de corrente. Resultado: o computador da minha traductora no Concelho de Santarém está avariado e os meus comentários sobre as eleições estão atrasados. - Na Biblioteca Municipal, os computadores faltam de "estabilizadores" que normalmente protegem os computadores contra os danos de interupções de corrente. Resultado: Não se podem utilizar os computadores num dia de tempesta. A nova equipa da Câmara Municipal vai ter muito trabalho .......

09 outubro 2005

 

Está Feito!...

Está Feito. Acabei de ouvir na Antena 1 que a Presidência da Câmara de Alcácer do Sal foi conquistada pelo arquitecto Pedro Paredes. Disse-se na Rádio que foi um resultado Histórico.

A confirmar-se, muito mais que do que história, este resultado fez renascer em mim a esperança de que as coisas podem mudar de facto... basta querer. E, pelos vistos, os Alcaçarenses quiseram. Estão de parabéns!

 

O Direito de Votar

Amanhã chegará o dia seguinte.
Os votos estarão contados e já saberemos quem ganhou as eleições para as Câmaras, Assembleias Municipais e Juntas de Freguesia. O Presidente da Câmara para os quatro anos seguintes será o candidato que tiver mais votos que o que virá após. Só é necessária uma maioria relativa.
A minha esperança é que todos os que podem, utilizem realmente esse direito fundamental da democracia que é votar.
O povo decide soberanamente e a sua decisão merece respeito seja ela qual fôr.
Por isso, a minha esperança é que, também, depois das eleições Domingo à noite, todos os Alcacerenses se encontrem no Largo Camões para festejar as autárquicas e pensar que nem toda a gente no nosso mundo tem esse direito fundamental que é votar.
E, no dia seguinte a vida continuará….
Miguel Mosquito

07 outubro 2005

 

Mais uma vez .... ?

Mais quatro anos ? - Não obrigado !! - Vote PS

Se engolir um sapo chateia muita gente, engolir dois sapos, chateia muito mais. Se engolir dois sapos chateia muita gente, engolir três sapos chateia muito mais... (etc.)

Ainda hoje, envie esta mensagem aos seus amigos e colegas.

Blog: Sal d'Alcácer: http://saldalcacer.blogspot.com/

 

Vamos todos assistir à inauguração do Minigolfe !


Com certeza, tinhamos previsto que o minigolfe na margem sul do Rio Sado seria pronto na hora certa das eleições. Mas agora, a informação é oficial, pois foi-nos confirmado hoje à tarde por o vereador responsavel das obras públicas, Sr. Jerónimo Matias: O minigolfe será inaugurado, amanhã, Sábado, dia 8 de Outubro, as 10 horas, na vespera das eleições autárquicas.
Até convém ! -Sentiriam qualquer medo que uma semana depois, não seria à um Presidente da CDU a inaugurar a obra tão querida dos titulares actuais? -
O candidato PS para a presidência da Câmara e seus apoiantes irão reunir-se amanhã a partir das 9.30 h para um piquenique que poderá permitir a todos os participantes admirar a obra feita e assim fazer os seus comentários "in loco". Como a campanha eleitoral já acabou, pede-se a todos que usem uma camisola branca, sem qualquer inscrição partidária.
Recomenda-se aos assistentes de se lembrar do grito: " O circo já temos, para quando o pão !?"
O verdadeiro "Open" de Alcácer acontecerá no dia seguinte, com as eleições autárquicas. Cada voto para o candidato PS é um ponto ganho por Alcácer. Com seu voto a favor de Pedro Paredes a a sua equipa, a Câmara Municipal actual não deixará de cair nos buracos que ela mesma escavou.
Miguel Mosquito

06 outubro 2005

 

A todos os que hesitam

A campanha eleitoral para as autarquias chega ao fim. Foi bastante animada. Trocaram-se argumentos. A CDU provou uma vez mais que dispunha de uma formidável máquina de propaganda. Estas brochuras, todas a quatro cores e em papel de lustro, eram as mais luxuosas de todas. Jantares grátis, cerveja à discrição, são de admirar os meios financeiros de que dispõe o «Partido dos Trabalhadores». Mas, sabe-se também quem o mantém, haja o que houver, na esperança de um retorno dos seus bons ofícios. As listas de promessas eleitorais do CDU eram as mais cheias. Ninguém foi esquecido, nada foi poupado. O Pai Natal mostrou-se generoso para com toda a gente, prometendo mundos e fundos, sem se preocupar com a realidade nem com a penúria dos meios. Um verdadeiro cinismo, como se percebeu.

O PS, com Pedro Paredes à cabeça, decidiu-se por uma abordagem muito diferente. Apontou para as modificações fundamentais, necessárias para construir um futuro melhor: serviços públicos mais próximos dos cidadãos, delegação de algumas funções para as juntas de freguesia, participação dos cidadãos nas decisões, não se exclue ninguém, profissionalismo em lugar de clientelismo, etc. Todos aqueles que, como eu, inicialmente, criticaram o Arquitecto Paredes por não apresentar projectos concretos, foram desmentidos: o PS não quis queimar os seus cartuchos demasiado cedo, mas à medida que a campanha foi evoluindo, foram sendo apresentados projectos e resumos em outdoors nos quatro cantos do concelho. Quem quisesse conhecê-los tinha todos os meios para o fazer, até mesmo nas ondas da Rádio Mirasado.

A acreditar no que se diz nas ruas, o PS soube mobilizar as pessoas desejosas de uma mudança e é verdade que haverá muita gente que irá votar PS pela primeira vez. Será que isso é suficiente para ganhar a maioria relativa na Câmara? Muito irá depender dos eleitores hesitantes e dos simpatizantes dos pequenos partidos que sabem que estes não têm qualquer hipótese de obter uma vitória.

Como seria de esperar, do PSD não se soube grande coisa. O seu objective aliás não é ganhar, mas mostrar a sua presença e ter um certo peso nas conversações no dia seguinte às eleições. Diminuir o PS, o seu principal adversário, foi desde sempre o objectivo principal do PSD nas eleições municipais no Alentejo. E como o PC não é um concorrente no plano nacional, o PSD age tradicionalmente no plano local, de acordo com a famosa divisa: «if you can’t beat them, join them» (Se não os podes vencer, junta-te a eles). Disso resulta uma estranha aliança de antípodas, de que as aldeias periféricas mais conservadoras tiram proveito. – Posto isto, o Professor Pedro Lynce de Faria, nas suas raras intervenções, tem dado provas da sua competência profissional, que procurará certamente aplicar num lugar em Lisboa. Neste sentido, a campanha eleitoral foi-lhe bastante útil.

Do CDS-PP não vi nada, e pergunto a mim próprio se não será um partido fantasma.

O Bloco de Esquerda que reúne os puros e duros da esquerda, pregava, como é hábito, no deserto. Mas os saudosistas da doutrina pura vão com certeza escutá-lo e segui-lo, pois ter a consciência pura e manter-se fora de todo e qualquer compromisso é o que mais interessa. Mesmo sendo a roda sobressalente numa coligação com o PC em vez de um parceiro do PS.

Por fim, o "Movimento dos Cidadãos". Queria ser o fermento da sociedade, e de certa maneira, conseguiu sê-lo. Procura uma legitimidade afirmando que os partidos políticos estão ultrapassados, pois são demasiado opacos. No entanto, esquece-se que a levedura sem massa se deteriora no vácuo, ao passo que a massa sem levedura pode sempre dar pão, mesmo que seja um pouco aborrecido.

O problema é que todas estas vozes simpáticas, mas dispersas, se arriscam a, no Domingo, falharem a eleição do candidato melhor colocado para bater os incumbentes do poder, e assim impedir a mudança, após 30 anos de reinado comunista. Os adeptos dos pequenos partidos, bem como os hesitantes e os conformados, devem pensar na cantiga de crianças «Se engolir um sapo chateia muita gente, engolir dois sapos, chateia muito mais. Se engolir dois sapos chateia muita gente, engolir três sapos, chateia muito mais, etc.». – Mais quatro anos de sapos no menu não são uma perspectiva agradável para Alcácer.
Assim, se querem uma mudança, para variar, utilizem o voto útil.
Miguel Mosquito

 

Engolir um sapo, chateia muita gente, engolir dois sapos, chateia muito mais ........

05 outubro 2005

 

cartazes


Como parecem apostados em destruir a propaganda do PS em Alcácer, apresento este dos nossos vizinhos de Santiago do Cacém. Por uma questão de solidariedade e proximidade, já que os problemas e o contexto são semelhantes.
Quem gostar de blogs e quiser divertir-se com alguns cartazes, Alcácer incluído, pode visitar: http://blogautarquicas.blogs.sapo.pt/

 

PARA ALCÁCER COM AMOR.

Pouco sabia sobre Pedro Paredes, sabia ser cabeça de lista pelo PS à Câmara Municipal de Alcácer do Sal.
Quando soube que era arquitecto, sentí que poderia acontecer algo de interessante com a sua candidatura.
Sei que um político, mesmo com formacão criativa e artística, tem responsabilidades formais e acordos com o Partido que o apoia e isso é indiscutivel, porém, e agora dirijo-me a si Arquitecto Pedro Paredes, deixe-nos a esperança de que vai olhar para esta Alcácer com alma criativa, aproveitando o valor histórico e místico desta bela terra que poderá vir a gerir.
Já muitos se serviram de Alcácer, é altura de que Alcácer se sirva de alguém, alguém como o Arquitecto Paredes, homem de formação plastica, e qualificações criativas que, lhe conferem a sua licenciatura em arquitectura.
Alcácer é como uma mulher que há muito espera ser amada, ame-a Arquitecto Paredes e faça história nesta terra adormecida no torpor do conformismo.
Guy St. Preux

04 outubro 2005

 

Convém lembrar:

Quando decidimos iniciar este espaço, assumimos duas coisas que registámos no Editorial: cada um escreve e assume a responsabilidade por isso, foi a primeira. A segunda, rejeição da calúnia ou insinuação como argumento. Até ao momento, e salvo melhor opinião, estes dois pressupostos têm sido respeitados.
Face a alguns comentários, pretendo esclarecer:
1.Não respondo no espaço dos comentários porque esse é um espaço que entendo ser dos leitores. Eles não têm possibilidade de colocar posts, eu não intervenho no espaço que lhes está reservado.
2.Não foram cortados quaisquer cometários.Foi apenas inserida uma palavra de verificação para evitar spam e similares.
3. Cada um escreve aquilo que assina. Se o português do Michael é demasiado «flutuante», isso deve-se ao facto de ele não dar a corrigir todos os textos, nomeadamente os mais curtos. A quem, só ele o poderá esclarecer.

03 outubro 2005

 

Participe no eclipse da CDU


Já faz 30 anos, que a CDU eclipsa as perspectivas de Alcácer do Sal, deixando este Concelho desenvolver-se menos rápidamente que o resto do país. Por isso, chegou a hora de substituir a CDU na Câmara Municipal. – No próximo Domingo, dia 9 de Outubro, não fique em casa. Participe nas eleixões !! Com a sua participação vamos assistir à um eclipse ainda mais espectacular !
Miguel Mosquito

 

Continuemos a lidar !


Foi bela a tourada, no Domingo, na praça !
Não perdemos o nosso tempo com pequenas vacadas.
Continuemos a lidar ! Continuemos a tourear !
Cada voto para o PS é um « ferro » nas costas da CDU !

 

Adeus, Sr. Presidente

Exmo. Sr. Presidente Rogério Brito,
Como decidiu colocar o seu mandato de Presidente da Câmara à disposição de um sucessor, chegou a altura de lhe dizer adeus. Digo-lhe francamente: estou triste por o ver deixar a presidência do Concelho de Alcácer do Sal. Isto pode parecer-lhe estranho, depois de todas as críticas que tenho dirigido à política local da CDU, mas gostava bastante de si. - Gostava de si em primeiro lugar pessoalmente, pois o Sr. possui tudo aquilo que faz de si um personagem caloroso, confiante e contagiosamente positivo. A não ser que fosse absolutamente necessário, o Sr. não gostava de dizer que não. Preferia delegar esse papel num dos seus colegas ou colaboradores. Mas, sinceramente, apesar de tudo, sentíamo-nos bem consigo. Tenho a certeza que o Sr. domina perfeitamente a linguagem hermética dos políticos, mas, quando o ouço falar, a maior parte das vezes, vejo que o Sr. preferia a sua própria linguagem, mais directa e mais sincera. E a sua voz sonora ajuda-o, certamente, a criar essas vibrações que nos fazem pensar: este homem pensa o que diz e di-lo com convicção.
Como o sentiu certamente, uma andorinha não faz a Primavera, e não havia ninguém na sua equipa que se pudesse comparar consigo, nem no espírito de abertura, nem no sentido de humor nem simplesmente na sua humanidade, sem falar da sua competência. Não é segredo para ninguém que o Sr. era mais apreciado no exterior do seu partido que dentro dele. O que tornou difícil o exercício das suas funções durante estes últimos anos. – Obrigado, apesar de tudo, por tudo o que fez por Alcácer do Sal. Não sei se vai reformar-se, mas espero que não deixe Alcácer e que continue connosco. Pois continuamos a precisar de si.
Com os meus melhores cumprimentos
Miguel Mosquito

02 outubro 2005

 

O debate e as desculpas.

Não tendo assistido ao debate realizado no Auditório, foi com alguma expectativa que segui o que decorreu na Mirasado, dia 1 de Outubro. No final, a primeira sensação é a de que foi um debate cordial, com os candidatos mais interessados nas suas próprias propostas que no confronto com as dos outros,um debate um pouco 'fechado'. Mas equilibrado. Apesar de,como é natural, a capacidade de improviso e de argumentação de alguns candidatos os ter beneficiado. Saliento dois aspectos. Primeiro, a quase unanimidade em torno de algumas questões, sendo a mais evidente a necessidade de tratamento dos esgotos lançados ao rio. Faço votos para, que daqui a quatro anos, não continuem a referir essa necessidade. Outro aspecto foi o constante 'sacudir a água do capote' por parte do candidato da CDU, atirando as culpas do que não está feito, ou está mal feito, para cima do 'poder central'. Como se as câmaras não tivessem competências e responsabilidades relativamente à educação, desporto, saúde, acção social, desenvolvimento económico, água, saneamento, infraestruturas, acessibilidades, etc. Apenas um exemplo: no primeiro ciclo do ensino básico as aulas estão a decorrer, com os professores colocados a tempo e horas. Isto é competência e responsabilidade do poder central. Ainda não estão a funcionar: as aulas de inglês e outras actividades como ATLs, Casa da Criança incluída, cuja responsabilidade é das entidades locais. No caso do Inglês, tais responsabilidades cabem por inteiro à Câmara, ao não aceitar o protocolo que a Direcção do Agrupamento estava a preparar com um Centro de Estudos localizado em Alcácer do Sal e chamando a si as responsabilidades sobre o lançamento e organização das aulas e a contratação dos professores necessários. Agora, quando vem dizer que tem de suportar todas as despesas , é preciso lembrar que o Ministério da Educação atribui, para esta actividade, uma verba de 100€/aluno, igual para todo o país. Se não a aproveitaram é porque não entregaram o projecto a tempo e horas. Melhor trabalho e menos desculpas, é o que se exige.

01 outubro 2005

 

A Feira dos Esquilos

Para mim, a Feira "Nova" de Outubro é cada vez melhor.
Este ano, há nozes de tudo e nada mais.

 

Quem quere uma mudança









Quem quere uma mudança, vota no candidato que tem mais hipótesis de bater o homen da CDU.

Por isso, vote Pedro Paredes (PS)

 

Dia da Música

Luis Afonso - Bartoon - Jornal Público